segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Polemizando - Corpo de baile em Dança do Ventre


Bom, para não perder o hábito, vou dar uma polemizada por aqui. O assunto (título) em questão ficou bastante encasquetado na minha cabeça desde o último festival Shimmie e então hoje, segunda-feira padrão, resolvi desencasquetar, tirar as "agarras da língua". 

Sabendo que as polêmicas parecem ser a maior audiência em qualquer blog, vou logo criando então este novo Tag aqui no Blog, o "Polemizando". Você pode até dizer que estou ficando uma velha ranzinza, mas eu confesso: ultimamente tem muito tema que eu acho que vai caber como uma luva nesse Tag. E também têm outros posts mais antigos que poderiam entrar aqui...

Voltando. Foco. Sabe, tenho certa "embrulhez estomacal" com essa coisa de "o primeiro disso, o primeiro daquilo". Desde quando pioneirismo é sinônimo de alta qualidade? Aff, calma bailarinada! 


Quando alguém faz tal afirmação, pressupõe-se que a anunciante fez o seu dever de casa, consultando a veracidade de seus dizeres. Não? Ah, tá! Mas deveria. Porque daí você, que não é surdo, escuta um absurdo. O que você deve fazer então? 
Ficar quieta em prol da educação? 
Não falar nada para não se pseudo-indispor com outra colega? 
Ou dizer "não é não" e provar? 


Espero não estar sendo deselegante, mas já que polêmicas existem... tá aí mais uma! Rs...


O Corpo de Baile para dança do ventre está muito longe de ser um lançamento atual (anunciado "o do" e "no" festival Shimmie como o "primeiro corpo de baile de dança do ventre do Brasil") ... 


A não ser que voltemos no tempo, no mínimo para o ano de 2001, onde vos apresento uma peça chamada "A Sucessora". 


A peça "A Sucessora" criada em 2001 para o Mapa Cultural Paulista



E que fique bem claro desde já que não estou dizendo que o meu corpo de baile foi o primeiro! Mas, honestamente, não sei se existiu outro antes! Nunca tinha pensado nisso até então. Mas... se o paletó for meu, então eu vou vesti-lo na boa, né ué?!
















Quatro momentos do Corpo de Baile em ação

"A Sucessora" foi uma peça criada em 2001, especialmente concebida para o Mapa Cultural Paulista. A história escrita em detalhes teatrais. A narração inicial, a edição musical (10 anos atrás gentemmmm!), os figurinos, o cenário... Tudo pensado para uma apresentação a altura da que necessita, ou clama, um teatro do tamanho do Auditório Claudio Santoro aonde se realizariam diversas das apresentações. 



Tahia Fathiem interpreta a Deusa do Ar

A história claro, falava em Grande Mãe (aliás interpretada pela amada Nori - in memorian), Deusas, Sacerdotizas, O Lado Negro e tinha direito até a Fada!  
Foram utilizados diversos elementos cênicos, de vasos a uma liteira, com direito ao Trono da Grande Mãe, um tecido de 8 metros onde por detrás o corpo de baile executava diversas sombras... entre outras "inovações da época".

Dahab interpreta a Deusa da Água e entra em cena na sua liteira

A Sucessora dança com a Deusa do Ar - no fundo, corpo de baile interage com sombras

Infelizmente na época não tínhamos recursos tecnológicos acessíveis como hoje, restando como registro apenas algumas fotos. A filmagem, feita quase um ano depois, foi num palco pequeno e sem os recursos adequados para apresentação da peça, como iluminação, entradas laterais, etc... Pelo tamanho do palco, o corpo de baile também foi reduzido para apenas 05 integrantes. Feliz ou infelizmente, é a única filmagem existente.


A Sucessora

Cena final: Grande Mãe cede o trono para a Sucessora



A saber: O Suheil Dance Co. sempre trabalhou com as definições de primeira bailarina, solistas, convidadas de honra, suplentes e corpo de baile em sua formação, sendo o corpo de baile atuante e responsável cenicamente como em qualquer outra cia de dança clássica, de onde aliás, veio esta sua formatação.


Primeiro elenco oficial em 2001, diversas vezes modificado depois.

Curtam a filmagem meio esverdeada pelo tempo, mas aí presente para mostrar que certas idéias não cabem pioneiros, pois pertencem a dança desde que a dança existe! 
(Porém se cabem, que sejam os primeiros de verdade!)





E como diria meu querido Chacrinha, nada se cria, tudo se copia!!!!

Beijokas a todos!
Suheil

;)

8 comentários:

  1. adorei tua coragem, não é polêmica, é informação! e eu tbm tenho corpo de baile desde 2004 nos meus eventos! vamos nos informar galeraaa
    ;)

    ResponderExcluir
  2. E já ajudando a Suheil a polemizar.... adoro o trabalho das meninas da shimmie, mas convenhamos que aquele "corpo de baile" só serviu pra irritar a platéia, não tinha contexto, nem dança, definitivamente uma experiência que não deu certo!

    Já vi também outros corpos de baile em outras apresentações, mas verdade, nenhum antes de 2001!

    Suheil liga não! Você sempre foi inovadora, mas também sempre humilde e talvez por isso nunca ligou pra esse título de pioneirismo, até pq vc chegou onde está sem precisar de mais este titulo (mais pq vc já tem tantos!).

    E sabe o que amo em você? De forma muito educada, você mata a cobra e mostra o pau!

    E como diz a colega Lu Arruda, adorei a coragem, vamos nos informar galera!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Opa, não sei pq sai como anônima! Rs... Sou eu, a Cris do balé de São Paulo!

    ResponderExcluir
  4. Oi Suuuuuuuu!!!

    Como disse a Lu Arruda, sabiamente, é informação mesmo.

    E, sinceramente, em dança, é difícil acatar esse conceito de "o primeiro corpo de baile". Pra mim, por exemplo, desde que comecei a estudar eu admirava o Souham (que nem existe mais) como um grande corpo de baile de dança do ventre, com bailarinas ótimas.

    Conheci também outro corpo de baile, organizado pela Shakti Shala que fez um trabalho muito legal na peça "O Retorno da Deusa", que teve um tema bem semelhante ao seu espetáculo "A Sucessora".

    As escolas, por outro lado, mantêm um time de bailarinas prontas "para o que der e vier", montando com elas espetáculos temáticos há anos e anos.

    Concordo com você em gênero, número e grau Su: são conceitos que estão aí desde que a dança existe, "vampará" de colocar rótulos. Sem dança, eles de nada servem!!!

    Beijocassss

    ResponderExcluir
  5. Oi Lu, que bom é tê-la por aqui participando, obrigada! Contando os meses pra estarmos juntas...

    Oi Cris, obrigada por vir aqui no meu modesto espaço, que honra! Olha, obrigada pelo apoio, mas vou discordar um pouquinho de você!

    Não gostaria que este post fosse uma critica ao corpo de baile feito pelas meninas, até pq Rhazi é minha amiga e pessoa muito querida.

    Uma experiência sempre é posita e isso já é dar certo! Houveram erros, ok, eu estava lá e posso dizer pq assisti o trabalho in loco, mas ocorreram talvez por inexperiência, visto que era o primeiro festival entre outras, tudo cabível ao meu ver.

    O foco do post é em relação ao pioneirismo. Só. Ok?

    Desculpe, mas é que tantos babados já aconteceram nos comentários deste blog, que estou escaldada! rs... polêmica traz crescimento intelectual, mas sabe né, tem quem adora entender errado e dá-lhe baixaria...

    Então vamos esclarecer! rs...
    Obrigada pela compreensão ;)

    Bjks! Suh

    ResponderExcluir
  6. Festival Nacional Shimmie
    Vem esclarecer que este comentário "o primeiro corpo de baile do Brasil" foi feito no calor do acontecimento no microfone por uma das artistas envolvidas no final do espetáculo, onde todo o elenco e equipe estavam emocionados depois de 1 ano de trabalho árduo envolvido na realização de todo o evento (workshops nacionais e internacionais; concurso nacional, espetáculo e show de gala).
    Pedimos desculpas pelo mal entendido mas isto com certeza não reflete o resultado de todo o evento. Como sempre, a Revista Shimmie quer ampliar os conceitos. Vamos levar este assunto além, convidamos todas as interessadas para que façam uma pesquisa sobre o tema "corpo de baile".
    Publicaremos com muito prazer em nossa revista a melhor resposta embasada e feita sob pesquisa comprobatória para levar aos nossos leitores ,como sempre, informação de qualidade e credibilidade.
    As interessadas devem enviar seus textos, fotos e vídeos para redatora@shimmie.com.br aos cuidados de Eliene Costa.
    Um abraço,
    Daniella Cristina
    Diretora Festival e Revista Shimmie
    11 2876-2011
    11 7559-9029
    diretoria@shimmie.com.br

    ResponderExcluir
  7. Sobre a sua postagem tem um ditado que diz assim: em terra de cego o rei DIZ ter um olho, mas é lógico
    tem quem acredite não é mesmo, afinal em terra de cego todos são cegos. O engraçado disso é que hoje em dia por causa do mundinho online é muito fácil descobrir e pesquisar sobre alguns assuntos, esse papo de ser o primeiro disto, o primeiro daquilo, o primeiro daquilo outro acho de um mau gosto tão grande porque mostra que no fim os indivíduos querem ser aquilo que na verdade eles não são, pura propaganda da vaidade e da arrogância para impor algo melhor, até porque a gente fala tanto em humildade na dança oriental árabe e no fim vê-se tanta propaganda de gente que quer se impor como o primeiro, o
    único, o melhor, o num sei mais o quê e no final das contas o que isso realmente importa? O que isso importa prá quem não é do bellyworld? Prá mim não significa nada, sou meio seletiva naquilo que leio por aí, ainda mais em propaganda mal feita, não é porque está escrito que é o primeiro ou o melhor que eu vou acreditar naquilo que estou lendo. O pior é que isso está virando uma baderna tão grande, é gente que copia coreografia, copia roupa, copia desenho, copia letra de música, copia frase, copia tudo o que pode e nem ao menos se dá o trabalho de pesquisar se aquilo ali existe ou não ou dar os devidos créditos para quem criou, aliás na dança e em outras artes nada se cria, tudo se recria, ou se copia, as pessoas poderiam ao menos se dar o trabalho de pesquisar antes de fazerem suas afirmações a respeito de um determinado assunto mesmo que esse assunto não tenha a menor importância para quem é leigo na área, mas quem está começando acha que aquilo ali que está lendo é a mais pura verdade, parece aquele assunto das mocinhas na fila da padaria, ah, mas eu vi na televisão, fulano falou...¬¬ isso na minha concepção de leitora chata acaba mostrando realmente quem são as pessoas e o que elas realmente querem. Então, antes das pessoas saírem por aí fazendo suas propagandas e afirmações elas deveriam ter um pouco de bom senso e pesquisar antes de saírem publicando suas verdades infundadas, que esse é melhor ou que é o primeiro, e ver também como isso está sendo levado ao
    público porque para mim muita coisa que leio na mídia e na rede (nem tô falando de revista tá? estou sendo abrangente estou expondo o que eu vejo)me faz pensar que a humildade está longe de caminhar junto com essa modalidade de dança.
    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Obrigada Ana e Verinha por suas colocações! Pessoas importantes e inteligentes como vocês são sempre uma contribuição fantástica!

    Dani, muito legal sua retratação, afim de esclarecer estes pontos, obrigada pela participação e pela sinceridade! Com posturas assim todos só temos a ganhar. Sinto que esta empolgação durou um pouco mais que o momento da festa, com determinada infantil insistência em manter o dito, mas vamos todos então relevar os comentários recentes, visto que esta idéia não representa a postura da revista. Será bastante interessante se alguém topar sua proposta! Deixo já de antemão para quem for, usar meus registros de 2001.

    E vamos trabalhando!
    beijos a todos e até a próxima polêmica! Rs...
    Suheil

    ResponderExcluir

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...